18 de abril de 2024 1:58

Banner princ
 

Associação de Cabos e Soldados apela a Álvaro Porto por fim imediato das faixas salariais

A Assembleia Legislativa recebeu, nesta segunda (25), a visita de integrantes da Polícia Militar de Pernambuco e do Corpo de Bombeiros. A categoria defende alterações no Projeto de Lei Complementar nº 1.671/2024, apresentado pelo Governo do Estado, no último dia 4 de março. A matéria, que será apreciada nesta terça (26), na Comissão de Justiça da Assembleia, reestrutura a carreira dos militares, estabelecendo o fim das faixas salariais para policiais e bombeiros e gerando um aumento no soldo dos profissionais. Integrantes das corporações defendem que a extinção das faixas ocorra de uma só vez e não de forma escalonada, como está proposto no PL.

O presidente do Legislativo estadual, deputado Álvaro Porto (PSDB), salientou a importância do encontro entre parlamentares e associações ligadas à segurança pública do Estado. “Estamos mobilizando os deputados para debater o tema. Nosso interesse é a melhoria da segurança e iremos ajudar no que for possível”, destacou.

Participaram do encontro representantes das seguintes associações: ASSORRP (Associação dos Oficiais da Reserva, Reformados e Pensionistas da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Pernambuco), ASC-PE (Associação de Cabos e Soldados e Bombeiros de Pernambuco), Aspra-PE (Associação de Praças Policiais e Bombeiros Militares de Pernambuco), e UMB (União dos Militares Estaduais e Federais do Brasil). Os deputados Coronel Alberto Feitosa (PL) e Joel da Harpa (PL) também acompanharam a discussão.

“Sabemos que as comissões parlamentares irão analisar com atenção o projeto, isso nos dá forças e nos fortalece. Tenho aqui uma palavra de que estamos sendo escutados, de que ainda temos chance de avançar”, ressaltou o diretor da Aspra-PE, Luciano Falcão.

“Estamos aqui pela política institucional, não podemos ficar de fora. Reconhecemos os esforços dos nossos deputados. Nos solidarizamos com as iniciativas tomadas por eles e sabemos que isso trará o melhor para nós”, completou o coronel Faustino Ferraz, representante da ASSORRP.

Deixe um comentário