29 de fevereiro de 2024 10:11

Banner princ
 

Agências bancárias em Afogados da Ingazeira quando se trata de atendimento aos clientes, para ficar ruim, precisa melhorar muito

Por Pedro Araújo/PE Noticias

As agências bancárias em Afogados da Ingazeira quando se trata de atendimento aos clientes, para ficar ruim, precisa melhorar muito. O Banco do Brasil por exemplo, um cliente espera mais de uma hora para ser atendido pela bateria de atendimento a pessoas físicas. Quando o cliente é atendido os funcionários passam uma enormidade de minutos para solucionar o problema. Outra questão a ser considerada pelo mau atendimento, é não respeitarem o painel para chamar os cliente através de senhas, muito estão esperando e um funcionário chama outro (talvez por amizade), deixando quem está esperando irritado (e com razão). Isso sem enumerar os atendimentos prioritários posto em lei.

Os grandes bancos, no Brasil, usaram a automação bancária em seu benefício, para economia de mão de obra principalmente, se descuidando das necessidades dos correntistas. A automação brasileira é excelente para os bancos, mas um calvário para os clientes. E permanece assim, graças à leniência do Banco Central, quase subserviente aos grandes: Bradesco, Itaú, Santander, Caixa Econômica e Banco do Brasil (os estatais seguiram na onda de mau atendimento dos outros três), que abarcam mais de 80% dos depósitos, e tratam os clientes com o mesmo menoscabo. Quando se trata de operações corriqueiras, tudo vai bem. Mas se houver algo extraordinário, por exemplo um lançamento errado feito pelo próprio banco, pobre do correntista que vai buscar correção.

Muitos municípios possuem a famosa “Lei dos 15 minutos”, que limita em 15 minutos o tempo máximo de espera dos clientes na fila para atendimento nos bancos e em 30 minutos nos dias de pico.

É importante deixar claro que cada município possui a sua lei e não existe uma Lei Federal neste sentido. Portanto, antes de qualquer coisa, é importante verificar qual a lei do seu município que trata deste assunto.

Normalmente, essas leis também preveem que os bancos devem possuir um sistema de controle de senhas e horários, mas como disse, os próprios funcionários estão desrespeitando, além de afixar avisos sobre o tempo estabelecido em locais de fácil visualização do público, o que não acontece em nenhuma agência de Afogados da Ingazeira.

O próprio  Banco do Brasil foi condenado pela 10ª Turma Recursal de Belo Horizonte a indenizar um cliente em R$ 5 mil, por tê-lo feito esperar por atendimento por mais de 15 minutos, tempo máximo de espera estipulado pela legislação estadual, imagine se alguém faz isso em Afogados da Ingazeira? Quanto essas agências não iriam pagar de indenizações?

O usuário mineiro narrou nos autos que compareceu a uma agência do Banco do Brasil e aguardou para ser atendido pelo caixa por uma hora e quarenta e cinco minutos. A demora excessiva configura um enorme desrespeito ao consumidor.

Em sua defesa, o Banco do Brasil alegou, sem negar a demora no atendimento, que tal fato é um mero aborrecimento cotidiano. Então está mais que na hora dos senhores gerentes das agências bancárias de Afogados da Ingazeira reunir seus funcionários e cobrar um rápido atendimento ou que os reciclem para que tenham mais agilidade quando estiverem na frente de um computador atendendo o cliente.

Deixe um comentário